Rua Aporé, 19 - Bairro Amambai - CEP 79005-360 - Campo Grande-MS (67) 3325-6640
20.10.2020 • Economia

Bolsonaro faz apelo a investidores dos EUA

apelo

Campo Grande (MS) – O presidente Jair Bolsonaro pediu para investidores norte-americanos analisarem a carteira do PPI (Programa de Parcerias de Investimentos) e prometeu continuar a promover reformas estruturantes, começando pela reforma administrativa. Ele discursou nesta 2ª feira (19.out.2020) na abertura de evento promovido pela Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos.

“Sabemos a enorme importância dos investimentos americanos em vários setores da economia brasileira. Convidamos os investidores a examinar atentamente a carteira de programa de parcerias de investimentos, o PPI, e a conhecer melhor as oportunidades que o Brasil oferece em matéria de concessões e privatizações”, declarou o presidente em discurso gravado.

“O governo brasileiro continuará a colocar em marcha a sua ambiciosa agenda de reformas. Já fizemos a reforma da Previdência, que muitos consideravam impossível. O próximo passo será a aprovação da reforma administrativa, que tem o objetivo de modernizar a gestão pública e resultará em economia de cerca de R$ 300 milhões ao Estado nos próximos 10 anos”, completou.

Como mostrou o Poder360, o valor da economia com essa reforma é hipotético e inclui medidas que não estão no texto da PEC 32 de 2020, apresentada em 3 de setembro. Uma delas é reduzir em 50% o volume de novos funcionários que tenham apenas o ensino médio e uma redução de 30% no valor de todos os salários de entrada, além de estender essas medidas para Estados e municípios.

Bolsonaro disse que, paralelamente à reforma administrativa, também avançará com a tributária. Segundo ele, a medida que promove a unificação de impostos “resultará em 1 sistema de arrecadação mais simples, justo e racional, atendendo a uma antiga demanda da população brasileira e dos investidores internacionais”.

No Congresso, entretanto, sem a contribuição governamental para a proposta, o relatório da reforma ficou para só depois das eleições marcadas para 15 de novembro. O presidente da comissão mista sobre o tema, senador Roberto Rocha (PSDB-MA), já disse que a aprovação ainda neste ano é “muito difícil”.

ENTRADA NA OCDE

O presidente Bolsonaro reforçou que é 1 dos objetivos do seu governo entrar na OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico). Ele disse que é 1 firme propósito do país e que tem se empenhado técnica e politicamente para conseguir, mas que o apoio dos EUA é “fundamental”.

“Contamos com fundamental apoio do governo dos Estados Unidos nesse processo que será determinante para que se chegue a 1 rápido e favorável encaminhamento. O ingresso do Brasil na OCDE irá gerar efeitos positivos para a atração de investimentos nacionais e internacionais”, afirmou.

ACORDOS ANUNCIADOS

Bolsonaro anunciou o fechamento de 3 acordos bilaterais com os Estados Unidos em seu discurso. São eles: de facilitação de comércio; de boas práticas regulatórias; e 1 acordo anticorrupção. Não é conhecido, entretanto, o teor dos acordos.

“Esse pacote triplo será capaz de reduzir burocracia e trazer ainda mais crescimento ao nosso comércio bilateral com efeitos benéficos também para o fluxo de investimentos”, completou.

 

Fonte: Poder 360

 

 
What do you want to do ?
New mail