Rua Aporé, 19 - Bairro Amambai - CEP 79005-360 - Campo Grande-MS (67) 3325-6640
12.12.2019 • Economia

Ceia de Natal fica 60% mais cara no estado esse ano

panetone_vr

Campo Grande (MS) – Os produtos tradicionalmente consumidos nas festas de Natal e Ano-Novo ficaram mais caros comparados ao ano passado. Dos 71 itens, da mesma marca e tamanho, pesquisados pela Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor (Procon-MS), 44 produtos (61,97%) apresentaram aumento na comparação com o ano passado.

O levantamento aponta ainda que 27 dos 71 itens (38,03%) apresentaram redução de preços entre 2018 e 2019. O produto que apresentou o maior aumento foi o pernil suíno com osso, com preço 48,62% maior, enquanto o principal decréscimo foi verificado  na lentilha Ponzan de 500 g, com queda de  39,62%. 

Ainda entre os itens que aumentaram de um ano para o outro estão o quilo do bacalhau Saithe, que passou de R$ 26,20 para R$ 40,87 – aumento de 35,89% em relação ao ano passado. O vidro da azeitona verde La Violetera 500 g ficou 29,61% mais caro; no ano passado o alimento custava, em média, R$ 6,49 e passou para R$ 9,22 neste ano. O quilo do chester temperado perdigão foi de R$ 16,68 em 2018 para R$ 21,79 este mês. 

Já entre os produtos que apresentaram redução do ano passado para cá estão o azeite de oliva extravirgem Carbonell 500 ml, que custava R$ 22,39 em 2018 e agora está custando R$ 16,20 – redução de 38,21% –, e o panetone de frutas Visconti 400 g, que teve preço reduzido de R$16,12 para R$ 12,03. O quilo do frango defumado Seara também ficou 32,14% mais barato: de R$ 44,90, passou para R$ 33,98. 

Variação 

A pesquisa foi realizada pelo Procon-MS de 2 a 10de dezembro. Foram visitados oito estabelecimentos pela equipe da superintendência. Os levantamentos levaram em consideração 171 produtos. Do total, os preços de 101  são divulgados pelo fato de os outros 60 serem encontrados em menos de três  estabelecimentos. 

O item que mais oscilou de preços  entre os locais pesquisados foi o bacalhau do Porto, com variação de 173,25%. O quilo do alimento é encontrado a partir de R$ 32,90 até R$ 89,90. Já a menor variação (0,58%) foi constatada no azeite de oliva extravirgem Borges de 250 ml, que custa entre R$ 13,90 e R$ 13,98. 

De acordo com o superintendente do Procon estadual, Marcelo Salomão, o consumidor poderá economizar  se pesquisar preços de produtos natalinos. “A pesquisa é fundamental para que o consumidor tenha uma economia doméstica. O Natal é a data comercial mais importante do ano, quando os consumidores mais vão às compras. O Procon se preocupando com isso trouxe uma ferramenta a mais para esse consumidor economizar na ceia. Se o consumidor buscar os produtos mais baratos com a mesma qualidade, ele vai conseguir trazer uma economia importante para sua casa”, explicou. 

 Entre as carnes mais tradicionalmente consumidas no período, o lombo congelado temperado Sadia apresentou a maior variação: o quilo foi de R$ 15,99 a R$ 29,90 entre os locais visitados, diferença de 86,99%. O quilo do chester tradicional temperado Perdigão custa entre R$ 18,48 e R$ 29,99. O pernil desossado temperado Seara variou de R$ 27,90 a R$ 36,90, diferença de 32,26%. E o peru temperado da Seara tem o quilo variando de R$ 20,98 a R$ 28,98. 

Os panetones também apresentaram uma grande diferença entre os locais. O panetone de frutas Tommy 400 g foi encontrado de R$ 8,69 a R$ 17,90, diferença porcentual de 103,64%. O panetone de frutas Bauducco 500 g variou de R$ 17,50 a R$ 19,98. Já o chocotone Bauducco 500 g variou entre R$ 17,50 e R$ 19,90 na Capital. 

Ainda apresentaram variação de preços entre os estabelecimentos a farofa pronta de milho Yoki 500 g, que foi de R$ 4,69 a R$ 6,99; o vidro de azeitona verde La Violetera 500 g, que custa R$ 6,90 em um supermercado e R$ 12,99 em outros, diferença de 88,26%; o palmito açaí Hemmer 300 g, que foi de R$ 18,90 a R$ 28,99; o abacaxi em calda Predilecta 400 g, de R$ 8,99 a R$ 14,60; e a ameixa em calda Predilecta 400 g, de R$ 9,90 a R$ 16,79.