Rua Aporé, 19 - Bairro Amambai - CEP 79005-360 - Campo Grande-MS (67) 3325-6640
26.07.2018 • Economia

IBGE mostra população de MS em crescimento e envelhecida

populacao_de_mato_grosso_do_sul_800x500_c

Campo Grande (MS) – A população de Mato Grosso do Sul não deve diminuir pelo menos até 2065, segundo projeção divulgada nesta quarta-feira (25) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). O estudo prevê crescimento de 25,20% no número de habitantes no estado, que deve chegar a 3.440.594 em 2060. 

Também seguem essa tendência de crescimento Goiás, Mato Grosso, Santa Catarina, Amapá, Roraima, Amazonas e Acre. 

A população das demais unidades federativas devem parar de aumentar entre 2032 e 2060, enquanto no Brasil como um todo deve cessar em 2048. Está atrelada a esse fenômeno a queda prevista para a taxa de fecundidade. O índice médio este ano está em 1,77 filho por mulher e deve despencar para 1,66. 

Mato Grosso do Sul, por outro lado, terá uma das maiores taxas de fecundidade, em torno de 1,80 filho por mulher. Em contrapartida, as menores deverão ser no Distrito Federal (1,50) e em Goiás, Rio de Janeiro e Minas Gerais, todos com 1,55. 

Envelhecimento – A população estimada em 2018 no estado é de 2.748.023 pessoas. Mais da metade (1.885.888) está na idade produtiva, que vai dos 15 aos 64 segundo o IBGE. Essa parcela potencialmente ativa profissionalmente deve crescer até chegar aos 2.138.529 em 2044, quando começa a cair, alcançando 2.085.112 em 2060. 

Os cidadãos com 65 anos ou mais somam 228.536, o que corresponde a 1/12 do total de sul-mato-grossenses em 2018. Esse número não deve apresentar retrações e crescerá até a marca de 779.365 em 2060. 

Embora a quantidade de cidadãos em idade para trabalhar continue sendo superior às demais nos próximos 62 anos, ela deve crescer apenas 10,56% nesse período, enquanto a população idosa deve aumentar em 241%. 

Já a população de crianças e adolescentes entre 0 e 14 anos, atualmente estimada em 633.599 indivíduos no estado, deve continuar crescendo até 2026, quando atinge a marca de 652.601. A partir daí deve começar a recuar até chegar aos 576.117 em 2060. 

Dessa forma, a população economicamente dependente (de 0 a 14 anos e acima de 65) em Mato Grosso do Sul deverá ser de 1.355.482 nos próximos 42 anos para um grupo de 2.085.112 em idade para trabalhar.