Rua Aporé, 19 - Bairro Amambai - CEP 79005-360 - Campo Grande-MS (67) 3325-6640
30.10.2018 • Governo-MS

MS já atraiu R$ 1,782 bilhão em novos investimentos com recursos do FCO

reuniaofco

Campo Grande (MS) - Em Mato Grosso do Sul, R$ 1,782 bilhões do Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO) já foram efetivamente contratados junto ao Banco do Brasil até o dia 30 de setembro deste ano, segundo relatório da instituição financeira. Esse valor representa praticamente 70% dos R$ 2,443 bilhões do Fundo destinados ao Estado no ano de 2018.

“A meta do Governo de MS permanece a de atingir a contratação de 100% do recurso aprovado para Mato Grosso do Sul neste ano, a exemplo do resultado que obtivemos em 2017. Tivemos mudanças significativas no cálculo dos juros do FCO Empresarial e Rural, mas graças a nossa ação junto às federações do setor produtivo, ao Governo Federal e ao banco, temos um bom prognóstico”, comenta o secretário de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), Jaime Verruck.

Do total já contratado até setembro deste ano, R$ 1,471 bilhão são de empreendimentos do setor Rural, R$ 311 milhões do FCO Empresarial e R$ 103 milhões do Pronaf. “De acordo com o banco, já existem mais cartas-consulta internalizadas, tramitando na instituição, cujos valores já seriam suficientes para atingir a totalidade do recurso que temos no FCO”, afirma o titular da Semagro.

Na sexta-feira (26.10), na 6ª Reunião Extraordinária do CEIF (Conselho Estadual de Investimentos Financiáveis pelo FCO), presidido pela Semagro, foram analisadas e aprovadas 34 cartas-consulta que somam R$ 112,3 milhões em investimentos dos segmentos empresarial e rural, contemplando 18 municípios sul-mato-grossenses.

Um dos destaques na reunião do CEIF-FCO foi a aprovação do projeto no valor de R$ 35 milhões, destinado à conclusão da implantação da unidade industrial de esmagamento e processamento de soja da Coamo, em Dourados. O investimento total na planta industrial é de R$ 750 milhões, com previsão de entrada em operação em 2019.