Rua Aporé, 19 - Bairro Amambai - CEP 79005-360 - Campo Grande-MS (67) 3325-6640
19.09.2019 • Economia

Papel e celulose impulsionam R$ 1,2 bi em MS

papel_e_celulose

Campo Grande (MS) – O valor de produção da extração vegetal e da silvicultura – obtido de florestas plantadas – em Mato Grosso do Sul, em 2018, foi de R$ 1,174 bilhão, aumento de 10,2% em relação ao ano anterior, conforme levantamento divulgada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). No ranking nacional, o Estado ocupa a 8ª posição. 

De acordo com relatório da PEVS 2018 (Produção da Extração Vegetal e da Silvicultura), o crescimento foi registrado pelo 3º ano consecutivo no Estado, com grande participação da silvicultura, que é de R$ 1,120 bilhão, incremento de R$ 98 milhões em relação a 2017. A atividade é impulsionada em MS por atender as indústrias de papel e celulose. 

Ainda na silvicultura, Minas Gerais registrou o maior valor de produção (R$ 4,6 bilhões, crescimento de 45,7%), ultrapassando o Paraná (R$ 3,1 bilhões). Neste ranking, MS ocupa a 8ª posição (R$ 1,174 bilhão), mas, no quesito produção de madeira para papel e celulose, ocupa a 1ª posição no ranking, com crescimento de 36,2% na produção. 

Entre os municípios, Telêmaco Borba (PR) apresentou o maior valor de produção da silvicultura, com R$ 326,9 milhões, seguido por Três Lagoas, com R$ 280,5 milhões. Selvíria ficou em 7º lugar, com R$ 171 milhões, Ribas do Rio Pardo ficou em 14º, com R$ 133,8 milhões e Água Clara, em 15º, com R$131,5 milhões de valor de produção florestal. 

Em Mato Grosso do Sul, a extração vegetal (coleta de produtos em matas e florestas nativas) apresentou valor de produção de R$ 53,8 milhões em 2018, aumento de 23,9% em relação a 2017. 

Dos nove grupos de produtos que compõem a extração vegetal na pesquisa, o estado registrou produção em dois: Alimentação e Madeira. O grupo dos produtos madeireiros, que teve a maior participação no valor de produção do extrativismo (99,1%), registrou aumento de 23,8% no ano. 

A participação dos produtos madeireiros (carvão vegetal, lenha e madeira em tora) representa 99,9% do valor de produção florestal, incremento de 10,6%. 

Dentre os produtos madeireiros da silvicultura, foi registrado aumento de 51,1% na quantidade produzida de carvão vegetal, redução de 12,5% na produção de lenha e aumento de 36,8% na produção de madeira em tora. 

Em todo o País, os valores da silvicultura e da extração vegetal somaram R$ 20,6 bilhões em 2018, registrando um crescimento (o terceiro consecutivo) de 8% em relação a 2017.